O músico Fábio Miranda é um daqueles artistas arrebatado pela viola caipira. O violeiro se diz “transformado” pelo instrumento e quer mostrar ao País o som que influência sua vida. Para isso, lança o seu segundo disco em carreira solo intitulado de “Chamamento” produzido pelo Beco da Coruja Produções e realizado com patrocínio do Fundo de Apoio de Cultura. Nesse novo trabalho, o jovem músico traz canções autorais a maioria em parceria com o paulistano, radicado em Brasília, Adalberto Rabelo Filho interpretadas com a viola de dez cordas e a voz. O show de lançamento aconteceu no dia 24 de fevereiro, no Clube do Choro.
O novo CD, ao contrário do primeiro “Caravana Solidão” (2012), se destaca pelas muitas participações. Composto por 18 faixas, Fábio reúne desde jovens compositores de Brasília, como Paulo Ohana, Gabriel Preusse, Rafael Miranda, Lidi Satier, Henrique Neto, Paula Zimbres, até músicos de peso, como Marcos Farias, Sivuquinha de Brasília e o DJ Jamaika. A maioria dos participantes do disco, Fábio já teve alguma experiência tocando junto. Além dos convidados, o álbum conta com a presença de alguns mestres da viola que influenciaram a caminhada de Fábio Miranda, como Badia Medeiros, Zé Mulato, Marcos Mesquita, Roberto Corrêa, Aparício Ribeiro, Cacai Nunes, e Ricardo Vignini. “Fui movido pelo espírito agregador da música e saí chamando todo mundo. Foi daí a ideia do título do álbum “Chamamento”“, explica o violeiro.