18740334_1476733635683051_3097946150702175257_n18767665_1476733825683032_8195827629063029153_n18814340_1476733575683057_9001401273782808769_n18835570_1476733569016391_8924230799900455962_n (1)18835570_1476733569016391_8924230799900455962_n18835865_1476733689016379_1005992437757475792_n18839192_1476733765683038_6359626723461661576_n18881934_1476733729016375_4001571576163132552_n18893304_1476733755683039_3395696844491133308_n

“A sanfona é a minha vida”. É assim que Dona Gracinha da Sanfona, 74 anos, define sua relação com o instrumento que a inseriu na música ainda na infância. “Meu tio era músico e me incentivou a tocar gaita de boca. Mas, depois de ver que a gaita me machucava, ele disse que  me daria uma sanfoninha de botão. A primeira música que aprendi a tocar foi Juazeiro, de Luiz Gonzaga”, lembra. A partir daí, Dona Gracinha e a sanfona se tornaram inseparáveis.

Natural de Floriano, no Piauí, a instrumentista deixou o Nordeste, em janeiro de 1970, para viver com a família em Brasília. Foi na capital que estreou em um palco ao lado, claro, da sanfona. E também será na cidade que a artista gravará o primeiro DVD da carreira, o Dona Gracinha da Sanfona — Vida e obra. “Estou ansiosa, quero que chegue logo o dia”, conta a acordeonista, que segue ensaiando para a aguardada data.

O DVD produzido pelo Beco da Coruja Produções foi gravado no Teatro Sesc Newton Rossi, na Ceilândia, acompanhada dos músicos Flávio Leão (zabumba), Tiago Vieira (triângulo) e Gabriel Lourenço (voz e guitarra). Dona Gracinha apresentou 12 músicas, em grande parte, de autoria própria. Além disso, a Orquestra Popular Marafreboi e o maestro Fabiano Medeiros (responsável pela direção musical do DVD), um dos artistas convidados, mostrou ao público, ao lado de Dona Gracinha, uma composição inédita feita em homenagem à sanfoneira.

Dona Gracinha recebeu várias participações especiais, todos amigos de longa da data da instrumentista: o Mestre Zé do Pife, o sanfoneiro Sivuquinha e a Banda Baião de 2, banda formada por aprendizes e professores da Apae-DF (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais).

“Fico muito emocionada (pelo primeiro DVD). As pessoas podem esperar muito forró, muita música minha”, garante a artista.